Blockchain - O que é e como funciona



O conceito de Blockchain é da década de 90 e vem lá dos laboratórios da Xerox, em Palo Alto, Califórnia. Sim, o mesmo laboratório que inventou o mouse e a interface gráfica na década de 70. O blockchain surgiu embalado pela revolução do Bitcoin: ele é justamente a tecnologia de codificação da informação que está por trás da moeda virtual e que sustenta toda a sua estrutura.

A tradução para “blockchain” é “cadeia de blocos”, na prática, ele é como um caderno de registros, semelhante a um livro de lançamentos contábeis de uma empresa, porem digital, um banco de dados, no qual são registradas todas as entradas e saídas de dinheiro é uma tecnologia que permite a transferência de dados digitais com uma criptografia muito sofisticada e de forma totalmente segura.

Como funciona?

Uma pessoa “A” deseja enviar dinheiro para outra pessoa “B”. A transação é representada como um bloco que é enviado a todos os usuários, e aqueles que estão na rede aprovam esta transação, daí o nome “blockchain“. Cada bloco, por sua vez, está vinculado a um participante específico, que pode pertencer a um grupo aberto ou controlado de usuários.

O blockchain só pode ser atualizado por consenso entre os participantes do sistema e, quando novos dados são inseridos, eles não podem ser apagados. Existe um registro verdadeiro e verificável de cada uma das entradas feitas no sistema.

Esse bloco fica registrado no blockchain e ganha um código. No entanto, quando ele entra no blockchain, ele entra depois de outro bloco, e pega uma parte do código desse bloco anterior para criar o seu próprio código.

Dessa forma, se alguém tentar burlar as regras em um bloco, o código ficará alterado e veremos que ele não possui o código correto de acordo com o bloco anterior. Seria mais ou menos como a imagem abaixo:


Todos os dias, bilhões de reais são movimentados em criptomoedas, e tudo isso acontece anonimamente e, de forma muito segura.


Na tecnologia blockchain, cada pessoa ou usuário é chamado de Nodes (nós) da rede: são indivíduos responsáveis pela conexão entre pontos da rede, realizando o trabalho de comunicar as transações geradas para a rede da blockchain. Desta forma, os nodes (nós) da rede trabalham para garantir a confiabilidade da rede. Caso um node tente agir de má fé, transmitindo uma informação errada, ele será banido. Assim, devem haver vários “nós” que possam verificar se as transações são válidas. “Nós” que registram dados na blockchain são chamados de moradores e eles são recompensados com tokens ou moedas da própria rede quando fazem essa atividade com sucesso.


Quais tipos de blockchains existem?

Atualmente, existem três tipos de blockchain: público, privado e híbrido.

As redes públicas (permissionless) são aquelas sobre as quais o Bitcoin funciona. Nelas, podem entrar as pessoas que quiserem.

As redes privadas (permissioned) têm utilizações específicas e só podem receber participantes autorizados pelos proprietários. Um exemplo seriam blockchains criados por um banco ou empresa.

Os blockchain híbridos seriam uma mistura das duas redes, com uma parte de dados aberta aos membros, mas operando por permissão.


Fonte: CNN Brasil, Forbs, Infomaney


Este artigo não é um publieditorial. Tem caráter unicamente informativo e não isenta o leitor quanto ao dever de tomar conhecimento e compreender a integralidade dos termos de uso do serviço mencionado na matéria jornalística aqui publicada. A R35 Marketing não se responsabiliza pelas condições e alterações de uso dispostas por empresas, plataformas ou agentes externos, sendo certo que a utilização de serviços de terceiros por parte dos nossos leitores ocorre exclusivamente por sua conta e risco.


30 visualizações0 comentário